top of page

Quantas Filósofas: Verbete Elisabeth da Bohemia, por Roberto Soares da Cruz Hastenreiter (UFRJ)

Elisabeth nasceu em 26 de dezembro de 1618 na cidade de Heidelberg. Filha mais velha e a terceira dos treze irmãos, recebeu formação característica da alta nobreza, e se destacou entre seus irmãos, demonstrando interesse em ciências e na filosofia grega clássica, o que lhe rendera o “título” de “a grega”. Filha de Frederico V (1596-1632) e da Princesa Elizabeth Stuart (1596-1662), Elisabeth nasce em uma família com poder e ligações com a realeza protestante em toda a Europa. Por parte de mãe era neta do rei James I da Inglaterra e VI da Escócia, e da princesa Anne da Dinamarca. Do lado de seu pai, ela era neta de Louise Juliana de Orange-Nassau (1576-1644), e prima do “Grande Eleitor” (der Große Kurfürst) Frederick William de Brandemburgo-Prússia.


Em 1619, seu pai assumiu a coroa do Reino da Boêmia, o que justifica o título de Elisabeth como princesa da Boêmia. Contudo, o reinado de Frederico V não durou muito tempo. A derrota na batalha da Montanha Branca (White Mountain em 8 de Novembro de 1620) lhe custou o reino da Boêmia, pouco mais de um ano após a sua coroação, o que lhe rendeu o apelido de “Rei de Inverno”. Tudo isso resultou em desdobramentos negativos, tanto para sua família quanto para o centro e o norte da Europa. Afinal, os eventos que resultaram em sua queda culminaram na Guerra dos Trinta Anos. Após a referida batalha, além do reinado da Boêmia, o pai de Elisabeth perdeu território do Palatinado, e com isso teve de se refugiar na Holanda, juntamente com a sua família.


O projeto de extensão Quantas Filósofas? incentiva graduandos a publicar verbetes introdutórios sobre a vida e a obra de filósofas, de modo a resgatar suas contribuições para a história da filosofia.


Leia o verbete completo no link: https://www.filosofas.org/quantas-elisabeth-da-bohemia









5 visualizações
bottom of page