SILVIA FEDERICI: FRUTOS NÃO VINGADOS E LAÇOS QUE VINGAM

APRESENTAÇÃO DO MINICURSO*


Em Calibã e a bruxa, Silvia Federici mostra que o surgimento do capitalismo se deu às custas da destruição do poder das mulheres sobre seus próprios corpos e dos laços comunais que as unia. No século XVI, a política de cercamento de campos, ou a expropriação das terras comunais do campesinato, não significou senão uma política de cercamento dos corpos das mulheres: o estupro foi legalizado, o útero foi controlado e transformado em uma máquina para reprodução da força de trabalho. Centenas de milhares de mulheres, acusadas de “crimes reprodutivos”, foram queimadas como “bruxas”. Diante da misoginia e da destruição da sociabilidade feminina em que se estrutura o capitalismo, como podemos pensar linguagens que tecem uma comunidade que vinga a vida de mulheres historicamente esquecidas, violentadas e assassinadas?


Ministrante: Dra. Danielle Magalhães


Mediação: Dra. Rita de Cassia Fraga Machado


Datas e horários: 19 e 26 de setembro, das 9h às 11h30


Inscrição acesse o formulário: https://forms.gle/QBDyw529pr4EdJ5HA


Informações pelo e-mail: minicursosilviafederici@gmail.com


Realização: As Pensadoras


Plataforma: Google Meet. Recomenda-se usar um e-mail do Gmail para acompanhar as aulas.


Certificação: 8 horas, pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA).


ATENÇÃO: 25% DAS AULAS PODERÃO SER SOLICITADAS, POR E-MAIL, QUANDO JUSTIFICADO O MOTIVO DA AUSÊNCIA.


PLANOS DE AULAS:


Aula 1: FRUTOS NÃO VINGADOS

Conteúdo programático: Calibã e a bruxa e a poesia brasileira contemporânea


Referências:

BECKER, Mar. A mulher submersa. São Paulo: Urutau, 2020.

FEDERICI, Silvia. Calibã e a bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva. Tradução do Coletivo Sycorax. São Paulo: Elefante, 2017.

GARCIA, Adriane. [poemas inéditos a serem apresentados no dia da aula]

MITRANO, Bruna. Não. São Paulo: Patuá, 2016.

PEQUENO, Tatiana. Onde estão as bombas. Juiz de Fora: Macondo, 2019.


Aula 2: LAÇOS QUE VINGAM


Conteúdo programático: Mulheres e caça às bruxas e a poesia brasileira contemporânea.


Referências:

AS MULHERES DE LOT. Disponível em: germina - revista de literatura & arte

AQUINO, Mônica. Fundo Falso. Belo Horizonte: Relicário, 2018.

BRITO, Letícia. Antes que seja tarde para se falar de poesia. Rio de Janeiro: Malê, 2019.

CERNOV, Catia. “Helenikas”. São Paulo: Antologia poética Cult, n.1, 2019, p. 69.

FEDERICI, Silvia. A história oculta da fofoca. Tradução: Heci Regina Candiani. São Paulo: Boitempo, 2019 [Mulheres e caça às bruxas: da Idade Média aos dias atuais].

GARCIA, Adriane. [poemas inéditos a serem apresentados no dia da aula]

NASCIMENTO, Tatiana. Cuirlombismo literário. São Paulo: n-1 edições, 2019.

PAZOS, Carolina. Mulher correndo entre ciprestes. São Paulo: Urutau, 2019.

PENOV, Isabela. Aves Marias [ou A Revoada]. São Paulo: Patuá, 2019.

PEQUENO, Tatiana. Onde estão as bombas. Juiz de Fora: Macondo, 2019.

TORRES, Valeska. O coice da égua. Rio de Janeiro: 7Letras, 2019.

ZELIC, Helena. Durante um terremoto. São Paulo: Patuá, 2018.



QUEM É:


Dra. Danielle Magalhães

Formada em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Doutora e mestra em Teoria Literária pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Literatura da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGCL/UFRJ). Pesquisa a poesia brasileira contemporânea escrita por mulheres, em diálogo com a filosofia. Defendeu a tese "Ir ao que queima: no verso, o amor, no verso, o horror - Ensaios sobre o verso e sobre alguma poesia brasileira contemporânea", que será publicada na Coleção X da Editora Ape'Ku. Integra o Laboratório Filosofias do Tempo do Agora (LAFITA-UFRJ/UFF/CNPq).

Link do lattes: http://lattes.cnpq.br/8341640277386386


*Essa Ementa é direito da Escola As Pensadoras e responsabilidade da professora convidada para ministrar o curso.





1,991 visualizações

Quer divulgar uma notícia sobre mulheres e filosofia? Escreva para noticias.filosofas@gmail.com

Dúvidas? Escreva para filosofas.brasil@gmail.com

©2019 por Rede Brasileira de Mulheres Filósofas