top of page

Equidade de Gênero em Nísia Floresta

Nísia Floresta Brasileira Augusta, foi o pseudônimo que a brasileira potiguar, Dionísia Gonçalves Pinto adotou para poder escrever, publicar e lutar pelos direitos das mulheres no Século XIX.

Nesse artigo, publicado em 2013, Graziela Rinaldi da Rosa apresenta a equidade de gênero problematizada nas obras de Nísia Floresta, que foram pesquisadas em sua tese sobre a Filosofia de Educação Nisiana. Um trabalho de pesquisa inédito no Brasil e que apresenta a filosofia escrita e defendida no cotidiano dessa mulher, que ousou criar escolas para meninas e incentivá-las para acessarem os espaços públicos e defenderem os direitos das mulheres.

Como escritora, romancista, literata, filósofa, autodidata, percursora dos ideais feministas, abolicionista, republicana, indigenista, educadora, Nísia Floresta nos deixou um legado de escritos, como novelas, livros, artigos de jornais, ensaios, discursos proferidos às educandas, cartas e outros. Essa pensadora brasileira problematizava as relações de gênero e equidade de gênero em suas obras, e essa "faceta" de Nísia ainda é pouco conhecida.


Nísia tinha um olhar crítico e investigativo acerca das relações de gênero, e em suas obras podemos observar que apresentou análises e reflexões sobre o tema, a partir da realidade de diferentes países.


Para saber mais, ler:


https://periodicos.ufsm.br/sociaisehumanas/article/view/2840/pdf



Graziela Rinaldi da Rosa: Professora de Filosofia na Universidade Federal do Rio Grande. PHD em Educação. Escreveu uma tese inédita sobre a Filosofia de Educação Nisiana. Militante feminista. Pesquisa sobre as Mulheres na/da Filosofia desde final da década de 90.

E-mail: grazirinaldi@gmail.com


 

117 visualizações
bottom of page