Novo verbete: Gênero


“ Não há uma base natural, pois o masculino e o feminino, o homem e a mulher são construções culturais simbólicas de seu próprio tempo. Não há uma base material, pré-discursiva, a partir da qual o gênero inventa o binário – a base é sempre um saber poder socialmente constituído”. Heloísa Buarque de Almeida.

No verbete “Gênero”, escrito especialmente para o Blog Mulheres na Filosofia, Heloisa Buarque de Almeida reconstrói a história desse conceito para “compreender do que estamos falando quando falamos de gênero”, para compreender ainda os debates que envolvem o tema e os incômodos que costuma gerar entre as pessoa apegadas às normas tradicionais de gênero.

Começando com as teóricas e os teóricos precursores da diferença sexual como Margaret Mead, Marcel Mauss e Lévi-Strauss, chegando ao texto fundante de Gayle Rubin, Heloisa Buraque de Almeida aborda ainda as contribuições de Joan Scott e Judith Butler, para mostrar que “gênero” é uma noção política atravessada por símbolos e regras performativas que não tratam apenas de mulheres, e das relações entre homens e mulheres, mas é parte das construções culturais simbólicas de nosso tempo.

Pela urgência do tema e pelos ataques reacionários às discussões de gênero no Brasil, vale correr no Blog Mulheres na Filosofia, ler o verbete, adotar na sua próxima bibliografia de curso e indicar para todas as pessoas que querem um mundo sem opressão de gênero. Leia o verbete aqui.

Heloisa Buarque de Almeida é professora no Departamento de Antropologia da Universidade de São Paulo, atua no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social e é bolsista de Produtividade em pesquisa do CNPq (2). Ela é membro do NUMAS – Núcleo de Estudos dos Marcadores Sociais da Diferença, coordenou o programa USP Diversidade e atualmente coordena o Comitê de Gênero e Sexualidade da Associação Brasileira de Antropologia. Faz parte da Rede Não Cala – Rede de Professoras pelo fim da violência sexual e de Gênero na USP.

147 visualizações

Quer divulgar uma notícia sobre mulheres e filosofia? Escreva para noticias.filosofas@gmail.com

Dúvidas? Escreva para filosofas.brasil@gmail.com

©2019 por Rede Brasileira de Mulheres Filósofas